Centenário da morte (2021)

Em 14 de novembro de 1921, D. Isabel (I) faleceu no Castelo de Eu, na Normandia, no fim de seu exílio francês, decretado 32 anos antes, no golpe militar conhecido na historiografia como “Proclamação da República”.

Para saber mais sobre a primeira brasileira que governou nosso País antes de Dilma Rousseff no século XXI, adquira o livro “Alegrias e Tristezas: estudos sobre a autobiografia de D. Isabel do Brasil”, da historiadora e arquivista Maria de Fátima Moraes Argon e do historiador e advogado Bruno da Silva Antunes de Cerqueira (São Paulo: Linotipo Digital e IDII, 2019, 888 páginas), acessando aqui.

Para assistir à sessão solene comemorativa da Lei Áurea e dos 175 anos de nascimento de D. Isabel, promovida pelo Instituto Histórico de Petrópolis e o IDII, em 13 de maio de 2021, clique aqui.

D. Isabel c. 1920. Paul Gavelle. Albúmen. Carte-cabinet. 16,5 x 10,7cm. Arquivo Grão-Pará. O Instituto possui reprodução fotográfica em quadro emoldurado singelo, que pertenceu a D. Pedro Henrique (1909-1981).
D. Isabel c. 1920. Paul Gavelle. Albúmen. Carte-cabinet. 16,5 x 10,7cm. Arquivo Grão-Pará.
O Instituto possui reprodução fotográfica em quadro emoldurado singelo,
que pertenceu a D. Pedro Henrique (1909-1981), neto e sucessor isabelino.

O centenário de morte de D. Isabel ocorrerá em 14 de novembro de 2021. Planeja-se missa em Petrópolis e evento acadêmico alusivo à vida e à obra da regente do Império, em parceria de algumas instituições.

Acompanhe neste blog e nas demais redes e mídias do IDII.

D. Isabel no leito de morte em Eu. Paul Gavelle. 13 x 17,9cm. Arquivo Grão-Pará. Especial cortesia de D. Pedro Carlos de Orleans e Bragança e Bourbon para o livro “Alegrias e Tristezas”.