EntreRios Jornal – Estudo pioneiro reúne em livro a genealogia e a heráldica dos titulares do Império no Vale do Café

Estudo pioneiro reúne em livro a genealogia e a heráldica dos titulares do Império no Vale do Café
Maio 14
09:592016

Pela primeira vez, um estudo reúne o elenco completo dos titulares da Monarquia – de barões a marqueses, que no reinado de D. Pedro II ajudaram a transformar o vale do rio Paraíba do Sul na região mais rica do Brasil graças a cultura cafeeira, cujas lavouras se estendiam de Itaperuna até Resende. Ao todo, 124 membros da nobreza brasileira – 90 barões, 23 viscondes, seis condes e cinco marqueses foram identificados ao longo de pouco mais de um ano de pesquisas do historiador José Roberto Vasconcelos, que acaba de lançar o livro “Titulares do Império no Vale do Café”.

Segundo o autor, nenhuma outra região do país concentrou tantos integrantes da nobreza quanto o vale do rio Paraíba do Sul. “Comparando-se em termos geográficos, a região cafeeira fluminense era uma pequena fração dos territórios de Minas Gerais ou São Paulo e, no entanto, tínhamos tanto quanto ou até mais titulares da nobreza aqui do que naqueles estados”. E que “a rápida expansão do café ao longo da região, com o ápice de produção entre as décadas de 1850 e 1870, transformou os fazendeiros locais nos súditos mais ricos do Império e, tendo muitos prestados serviços de interesse público como obras filantrópicas, abertura de estradas, construção de escolas, auxílios financeiros no período da Guerra do Paraguai, por exemplo, foram contemplados com títulos de nobreza”, disse José Roberto.

Nesse estudo, que agora se dá publicidade, os 124 titulares vêm distribuídos em verbetes por ordem alfabética da denominação dos respectivos títulos de nobreza, principiando no Barão de Águas Claras – Guilherme Augusto de Sousa Leite, que tinha propriedades em São José do Vale do Rio Preto; e terminando no Barão de Werneck – José Quirino da Rocha Werneck, sul-paraibano de nascimento e cuja família, os Werneck, foi a que mais integrantes recebeu títulos de nobreza, figurando entre eles o Visconde de Ipiabas e os barões de Bemposta, Paty do Alferes e de Palmeiras.

“A biografia dos titulares é muito sucinta, pois me preocupei em arrolar a genealogia de cada um, registrando seus pais, avós e bisavós e seus filhos e netos com os respectivos casamentos, muitas vezes uniões entre primos ou de tios e sobrinhas, forma utilizada para se manter o patrimônio sempre “dentro” da família e mesmo a união entre os filhos e netos dos diversos titulares, o que denota certa preocupação na manutenção do status social nobiliárquico, como se praticava comumente na Europa, o que é um aspecto ainda não investigado pelos nossos historiadores”, disse ainda José Roberto.

Entre os barões que figuram no livro está o sul-paraibano radicado em Vassouras, Pedro Corrêa e Castro, Barão de Tinguá, que nunca se casou, mas viveu a vida toda em um palacete em Vassouras ao lado de Laura, uma ex-escrava africana, com quem teve vários filhos que reconheceu em testamento, tornando-os herdeiros de grande fortuna. Um outro titular foi o mineiro Francisco Paulo de Almeida, o único negro elevado a titular do Império – Barão de Guaraciaba, que teve grande descendência; tendo começado a vida como tropeiro, alcançou uma fortuna colossal, como proprietário de fazendas de café em Valença, Três Rios, Paraíba do Sul, Barra do Piraí e em Vassouras, luxuosos palacetes em Petrópolis e no Rio de Janeiro e sócio em bancos.

José Roberto Vasconcelos tem diversos trabalhos publicados nos campos da história, heráldica e genealogia, figurando os livros “Andrades & Corrêas e Castros no Vale do Café” e o “Armorial Vale do Café”, que já integram o acervo da Library of Congress dos Estados Unidos, a maior e a mais importante biblioteca do mundo, cujos técnicos avaliaram a aquisição desses trabalhos em razão da relevância nos campos da Cultura e Memória brasileiras.

O livro Titulares do Império no Vale do Café, cujo projeto gráfico e design da capa também levam a assinatura do, se apresenta em formato brochura com orelhas, capa em policromia, tamanho A4 (21×29,7 cm), 451 páginas, miolo em preto e branco, fartamente ilustrado, inclusive trazendo ilustrações dos brasões de armas de inúmeros titulares e a respectiva descrição técnica. A impressão é por demanda. Contato com o autor via e-mail vasconcelosminas@yahoo.com.br.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , . Guardar link permanente.