Inaugurada a exposição “Teresa Cristina, a Imperatriz Arqueóloga”, no Museu Nacional

Exposição inédita apresenta parte do acervo arqueológico de D. Thereza Christina (1822-1889), no Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro, local em que a imperatriz-consorte brasileira, nascida Princesa D. Teresa Cristina Maria das Duas Sicílias, passou toda a sua vida nos Trópicos.

Confira o vídeo da mostra: https://www.youtube.com/watch?v=lxgTa2sjS9o

 

Óleo sobre tela de José Correia de Lima (1814-1857). Acervo Museu Imperial / Ibram / MinC.

Óleo sobre tela de José Correia de Lima (1814-1857), em 1843. Acervo Museu Imperial / Ibram / MinC.

 

Um conjunto de 90 peças da “Coleção Teresa Cristina”, nunca antes expostas, que traça um amplo panorama das civilizações antigas, integra a exposição temporária Teresa Cristina: a Imperatriz Arqueóloga inaugurada em 31 de março de 2016, no Museu Nacional, que pertence à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A exposição homenageia a esposa de D. Pedro II (1825-1891), a grande responsável pela formação da coleção de Arqueologia Clássica do Museu Nacional, a coleção greco-romana mais importante da América do Sul.

As peças da Coleção são provenientes de escavações ou achados fortuitos em vários sítios arqueológicos da Itália, a maioria delas, no entanto, pode ser remontada às cidades de Herculano e Pompéia e seus arredores; às colônias gregas do sul da Itália e à cidade de Veios, onde a imperatriz também possuía propriedades, autorizando as pesquisas arqueológicas entre os anos de 1853 e 1889. Reúne vasos, estatuetas, utensílios domésticos, amuletos e objetos de uso pessoal. Alguns desses objetos vieram para o Brasil com a própria Imperatriz, como parte de seu dote. A maior parte da coleção, no entanto, foi enviada posteriormente por seu irmão, o Rei D. Ferdinando II das Duas Sicílias (1810-1859), atendendo ao pedido dela.

A totalidade das peças organizadas pela Imperatriz compõem um conjunto coeso. Mais que obras de arte, estas peças demonstram o interesse em criar uma coleção de cunho feminino, com objetos de uso cotidiano das civilizações mediterrâneas da Antiguidade. O Museu Nacional já possui em seu circuito expositivo uma grande exposição permanente com boa parte dos cerca de 700 objetos que integram a coleção.

A mostra temporária Teresa Cristina: a Imperatriz Arqueóloga traz ao público pela primeira vez 90 destas peças que antes só poderiam ser vistas por pesquisadores na reserva técnica do Museu Nacional. O acervo exposto possui grande valor histórico e arqueológico, não apenas por cada um dos objetos individualmente, mas pela construção de uma coleção que trouxe para o Brasil um amplo panorama das civilizações antigas.

SERVIÇO
Exposição Teresa Cristina: a Imperatriz Arqueóloga (Exposição temporária)
Inauguração: 31 de março de 2016, às 16 horas
Local: Museu Nacional/UFRJ
Quinta da Boa Vista – Bairro Imperial de São Cristóvão – Rio de Janeiro – RJ – Brasil
Aberto de terça a domingo, das 10 às 17 horas, e as segundas das 12 às 17 horas
Ingressos: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia)
Gratuidade: crianças até 5 anos e pessoas com deficiência
Telefone: 21 3938-1100
Website: www.museunacional.ufrj.br
Facebook: www.facebook.com/MuseuNacionalUFRJ

O Museu Nacional/UFRJ é a mais antiga instituição científica e o maior museu de História Natural e Antropologia do Brasil.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , . Guardar link permanente.