Jornal Terceira Via – Movimento Hip Hop comemora os 125 anos da abolição da escravatura

Fonte: http://jornalterceiravia.com.br/noticias/campos_e_regiao/21383/movimento_hip_hop_comemora_os_125_anos_da_abolicao_da_escravatura…

Data: 14/05/2013 – 00:01:01

Movimento Hip Hop comemora os 125 anos da abolição da escravatura

Jovens da Ong Nação Basquete de Rua divulgam atividades culturais, esportivas e sociais pela diminuição da violência

  • Movimento Rip Rop na Praça São Salvador. (Foto: Virna Alencar)

  • Movimento Rip Rop na Praça São Salvador. (Foto: Virna Alencar)

  • Movimento Rip Rop na Praça São Salvador. (Foto: Virna Alencar)

  • Movimento Rip Rop na Praça São Salvador. (Foto: Virna Alencar

No dia 13 de maio, em que é comemorado os 125 anos da abolção da escravatura, jovens do movimento Hip Hop se reuniram na Praça do Santíssimo São Salvador, no Centro de Campos, com demonstrações culturais, por meio da música, do esporte e da arte. O objetivo é justamente chamar a atenção da população e informar sobre questões relevantes à sociedade.

A escravidão no Brasil teve seu ápice no fim do século XVIII e início no século XIX, quando o comércio do açúcar movia a economia brasileira e da região Norte Fluminense. Na época, as condições subumanas que eram impostas ao negros marcaram uma época extensa e sombria da história. Em 13 de maio de 1888, a Princesa Imperial Isabel Cristina, notoriamente forçada por acordos internacionais, principalmente com a Inglaterra, sancionava a Lei Áurea no Brasil (Lei 3.353), fato que, sem dúvidas, foi um avanço nos aspectos democráticos da nação. Porém este episódio não pôs um ponto final em todo trajeto de lutas que a população negra viveria. Logo após a “liberdade”, a população negra iniciou uma batalha que se estende até os dias atuais, em busca de respeito e igualdade racial, dentre outros aspectos.

Em Campos, o movimento torna a ganhar força e expressão por intermédio da Ong Nação Basquete de Rua (NBR), que vem lutando para fomentar iniciativas na região, no intuito de divulgar a cultura de rua, além de mostrar a importância dessas atividades, tanto na área cultural, esportiva, social, na diminuição da violência, dentre outros. O esporte agregou a outros elementos como o Hip Hop, movimento forte na luta pela igualdade racial, sendo capaz de desenvolver a auto-estima e reunir diferentes classes, gêneros, credo, ou visão política.

Segundo o presidente da Ong Victor Hugo Ribeiro Almeida, “Lebron”, a iniciativa surgiu por parte de um grupo de jovens em 2006, que queria expandir o esporte na cidade. Em 2007 o núcleo foi ganhando novos adeptos, inclusive no município de Macaé, até se agregar a outros elementos como capoeira, graffitti, rap, break, DJ, dentre outros. Assim, o projeto vem reunindo simpatizantes de municípios e estados vizinhos, com a divulgação facilitada pela internet, com exibição de fotos e vídeos. Até que em 2009 o projeto foi levado a sério formando-se a Ong, com a parceria da prefeitura.

“O projeto “Se Liga Aê” é justamente para chamar a atenção da população a questões relevantes da sociedade. Participam deste evento jovens que fazem parte do movimento Hip Hop, ou seja, pessoas que decidiram se unir por uma causa, ajudar outras pessoas. Com o nosso som e demonstração da arte e esporte queremos informar a população nesta data em que é comemorado os 125 anos do fim da escravatura”, disse.

Redação/Ascom

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.