G1 – Passeio no Centro do Rio lembra os 125 anos da abolição da escravatura

Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/05/passeio-no-centro-do-rio-lembra-os-125-anos-da-abolicao-da-escravatura.html

13/05/2013 11h10 – Atualizado em 13/05/2013 12h04

Passeio no Centro do Rio lembra os 125 anos da abolição da escravatura

Projeto mostra o legado dos negros na cidade.

Nova caminhada será realizada às 16h desta segunda.

Mariucha Machado

Do G1 Rio

O projeto "Caminhando por negras geografias no Centro do Rio" mostra o legado dos negros (Foto: Mariucha Machado/G1)O projeto “Caminhando por negras geografias no Centro do Rio” mostra o legado dos negros (Foto: Mariucha Machado/G1)
o

[No dia em que a Lei Áurea, que marcou o fim da escravidão no Brasil, completa 125 anos, um passeio pelo Centro do Rio faz cerca de 80 pessoas, entre estudantes e adultos, voltarem na história na manhã desta segunda-feira (13).

O projeto “Caminhando por negras geografias no Centro do Rio” mostra o legado dos negros na história e na geografia da cidade, além da sua religiosidade e cultura. O ponto de encontro da visita guiada foi a Estação do metrô da Praça Onze e começou às 10h.  A caminhada passou também pelo Sambódromo, Terreirão do Samba, Escola Tia Ciata, Igreja de Santana, Arquivo Nacional e Campo de Santana.

Professor João Baptista de Mello é responsável pelo projeto. (Foto: Mariucha Machado/G1)
Professor João Baptista de Mello é responsável
pelo projeto. (Foto: Mariucha Machado/G1)
o

“A intenção é mostrar as marcas, a cultura e os símbolos que os negros e escravos deixaram. Isso não tem sido ressaltado muito ressaltado. Vamos mostrar as igrejas, os trabalhos e a religiosidade”, contou o professor de geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) João Baptista de Mello, que organiza o passeio.

Duas professores do projeto social ‘Spectaculu’ trouxeram 16 alunos para o passeio. ” Nós aproveitamos essa oportunidade para ressaltar a cultura do negro. É importante eles para eles perceberem a força dos negros na nossa cidade, ainda mais com a explicação de um especialista”, contaram as professoras Elisa Tandens e Sueni Maia.

O professor contou que foram nas barbearias que nasceram as manifestações rítmicas como o maxixe e o chorinho. Pontos turísticos, como o Cristo redentor, também foram lembrados. O monumento foi inaugurado em 1931 e hoje é considerado uma das sete maravilhas do mundo.

Sambódromo faz parte do roteiro do projeto "Caminhando por negras geografias no Centro do Rio"  (Foto: Mariucha Machado / G1)
Sambódromo faz parte do roteiro.
(Foto: Mariucha Machado / G1)
o

O Morro da Coroa, que fica localizado sobre o Túnel Santa Bárbara, tem as casas todas brancas. O professor Mello explicou que a prefeitura doou tintas para que se parecesse com uma comunidade grega.

A guia de turismo Marta já fez cerca de dez passeios como esse. “É bem diversificado os roteiros, não existe melhor maneira de conhecer a história do Rio e a nossa cidade como essa”.

No período da tarde, um outro roteiro será feito a partir das 16h. O trajeto contará com visitas a Igreja das irmandades negras de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , . Guardar link permanente.