MIP – Nos 125 anos da Lei Áurea, Museu Imperial realiza mesa-redonda sobre a Abolição

 

Fonte: http://www.museuimperial.gov.br/releases/4259-nos-125-anos-da-lei-aurea-museu-imperial-realiza-mesa-redonda-sobre-a-abolicao.html

 

Nos 125 anos da Lei Áurea, Museu Imperial realiza mesa-redonda sobre a Abolição
altEm 13 de maio de 1888, a princesa Isabel assinou a chamada Lei Áurea, que aboliu a escravidão no Brasil. Em comemoração aos 125 anos da lei, o Museu Imperial/Ibram realiza, no próximo dia 13 de maio, às 14h, a mesa-redonda “A Abolição em revista”. O evento terá entrada gratuita e acontecerá no Cine Teatro Museu Imperial.
Na mesa, estarão dois especialistas com diferentes visões sobre a Abolição. Com mediação do diretor do Museu Imperial, professor Maurício Vicente Ferreira Jr., os convidados Eduardo Silva, pesquisador da Fundação Casa Rui Barbosa, e Bruno de Cerqueira, diretor do Instituto Cultural D. Isabel a Redentora, irão debater o contexto social, político, econômico e cultural da época, bem como os papéis de cada ator social no movimento que culminou na libertação dos escravos no Brasil.
Na ocasião, também será inaugurada a exposição de Ikebana “A simbologia da camélia na História e na Arte”, com coordenação da historiadora do Museu Imperial, Claudia Costa, e apoio da Academia Sanguetsu. A mostra ficará no saguão de entrada do Cine Teatro até o dia 19 de maio.
“O objetivo é promover uma reflexão através do diálogo entre a história e arte, utilizando a flor e a poesia como ferramentas de provocação de lembranças e de fatos que levaram ao estabelecimento de uma mudança social no Brasil no século XIX. Representaremos com beleza e sensibilidade esse momento da nossa história, resgatando símbolos e personagens que foram atores desse período”, afirma Claudia Costa, lembrando que a camélia era, no século XIX, o símbolo do Movimento Abolicionista.
A mesa-redonda e a exposição fazem parte da programação do Museu Imperial para a 11ª Semana Nacional de Museus, que acontece em todo o país de 13 a 19 de maio, com o tema “Museus (memória+criatividade) = mudança social”.
Além dessas atividades, o Museu e sua subunidade, a Casa de Cláudio de Souza, oferecerão palestras, espetáculos, atividades educativas e outras. Para conhecer a programação completa, acesse http://www.museuimperial.gov.br.
O Museu Imperial fica na Rua da Imperatriz, 220, Centro, mas o Cine Teatro também pode ser acessado pelo Bosque do Imperador, na rua de fundos do Museu. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (24) 2245-4668.
Sobre os palestrantes
Eduardo Silva é pesquisador da Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro, desde 1976. Doutor em História pela University College London (Inglaterra), sócio titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), membro correspondente da Real Academia de la Historia (Espanha), da Academia Nacional de la Historia (Argentina) e de outras sociedades científicas no Brasil e no exterior. Autor, entre outros livros, de “As camélias do Leblon e a abolição da escravatura: uma investigação de história cultural”.
Bruno de Cerqueira é graduado em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, pós-graduado em Relações Internacionais pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro/Universidade Cândido Mendes, indigenista especializado da Fundação Nacional do Índio/Ministério da Justiça, fundador e gestor do Instituto Cultural D. Isabel I a Redentora, sócio do Colégio Brasileiro de Genealogia e sócio do Instituto Histórico e Geográfico de Niterói. É autor do livro “D. Isabel I a Redentora”.
08 de maio de 2013
Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.