Acervo do IDII continua à espera de patrocínio

O Instituto D. Isabel I continua aguardando a análise do projeto “Acervo Histórico do IDII” pela Eletrobras.

A Petrobras, através de mensagem enviada em 20.12.2011, rejeitou a possibilidade de analisá-lo.

Composto substancialmente de quatro arquivos e bibliotecas pessoais — Juarez do Nascimento Fernandes de Távora (†2009), Otto de Alencar de Sá-Pereira, Bruno da Silva Antunes de Cerqueira e Antonio Aprígio Pereira —, o Acervo do IDII não tem catalogação, identificação ou qualquer outro tipo de cuidado técnico.

Precisamente por esta razão, foi projetificado para receber apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), bem como do Estado e da Cidade do Rio de Janeiro.  Com esta chancela, as empresas financiadoras terão isenção fiscal correspondente ao valor investido no acervo do Instituto e permitirão que, finalmente, ele possa servir ao público estudioso da história do Império Brasileiro, dos abolicionismos e dos abolicionistas.

O projeto cultural Acervo Histórico do IDII foi aprovado pelo Ministério da Cultura em 5 de abril de 2010, recebendo o número de PRONAC 102.014.

Segundo o laudo passado pela museóloga Angela Maria Chiesi Moliterno de Oliveira em 25.02.2010, o acervo do IDII possui cerca de 5 mil documentos e 3 mil livros sobre História do Brasil, História Geral, História Militar, Sociologia, Antropologia, Ciência Política, Monarcologia, Genealogia, Heráldica, Cerimonial e Protocolo etc.

Em 13 de maio de 2011, o Jornal das 10 (22h) da Globonews exibiu a seguinte reportagem sobre o Instituto e a Igreja do Rosário:

o

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.