Historiadores brasileiros descobrem e analisam imagens do filho da Redentora no YOUTUBE

12.03.2011
Jornalista Thyago Mathias
Rio de Janeiro

O historiador Bruno de Cerqueira, gestor do Instituto D. Isabel I, descobriu no Youtube imagens do filho de D. Isabel (1846-1921) — que foi imperatriz do Brasil no exílio (1891-1921) — entre os convidados para o casamento do Arquiduque Karl da Áustria (1887-1922) com a Princesa D. Zita de Parma (1892-1989), em 21 de outubro de 1911, na pequenina Schwarzau-am-Steinfeld, Baixa Áustria.

O Príncipe Imperial D. Luiz do Brasil (1878-1920) aparece em meio a diversos outros membros da realeza europeia, homenageando o casal de noivos que herdaria o trono do longevo imperador austríaco Franz Joseph I (1830-1916). A mulher de D. Luiz, D. Maria Pia (1878-1973), nascida princesa das Duas Sicílias, também aparece no vídeo, que pode ser acessado neste endereço: http://www.youtube.com/watch?v=LbWd1vJ15HE

A descoberta é significativa sob diversos pontos de vista, principalmente porque o Brasil parece desprezar sua memória histórica e o pequeno vídeo indica a importância que tinha a Família Imperial Brasileira para as dinastias multicentenárias que governavam os europeus no período anterior à Primeira Guerra Mundial.

o

Para Teresa Malatian, professora titular de História da Universidade Estadual Paulista (UNESP) e autora da biografia “D. Luiz de Orleans e Bragança, peregrino de impérios”, publicada pela Editora Alameda em 2010, o vídeo se torna ainda mais emblemático se pensarmos que o noivo e a noiva têm sido bastante celebrados entre os católicos, desde que o Papa João Paulo II beatificou o último monarca austro-húngaro-tcheco em 2004, tornando-o “Bem-Aventurado Carlos, modelo de homem público e estadista cristão”. Mais recentemente, Zita foi declarada “Serva de Deus” pelo Vaticano.

O Instituto D. Isabel I tem um projeto cultural visionário sobre a história do Brasil do período joanino e dos demais períodos monárquicos que não foi contemplado pelas empresas governamentais e os bancos públicos e privados aos quais foi apresentado, o que prejudica em muito a possibilidade de descobertas como essa. Vale a pena conferir: www.cortebr.com.br.

Análise filmográfica

Bruno de Cerqueira, especialista em genealogia dinástica e monarcologia, explica os detalhes:

“O vídeo começa mostrando os tradicionais desfiles escolares que costumavam preceder os casamentos principescos na Europa.

“No minuto 0:30 aparece o Arquiduque Karl junto ao seu futuro cunhado, D. Elia (1880-1959), Duque de Parma em sucessão ao falecido pai, que havia sido o último monarca parmesão, D. Roberto I (1848-1907), deposto na Unificação Italiana (década de 1860). D. Roberto I gerou 12 filhos de seu casamento com a Princesa D. Maria Pia das Duas Sicílias (1849-1882) e 12 filhos do segundo casamento, com a Infanta D. Maria Antonia de Portugal (1862-1959), filha de D. Miguel I, irmão de nosso D. Pedro I.

“Entre os cunhados de Karl estão também os Príncipes D. Sisto (1886-1934) e D. Francesco Saverio (1889-1977), que serão os principais atores do famoso ‘Affair Sixtus´, um sinuoso processo da Primeira Grande Guerra por meio do qual a Áustria tentou secretamente fazer a paz com a França, mas o Primeiro-Ministro Clemenceau (1841-1929) reagiu negativamente.

“Aos 35 segundos aparece um grupo de princesas de Bourbon, chefiado pela Duquesa-Mãe de Parma, D. Maria Antonia. Ao lado dela está sua prima D. Maria Pia do Brasil, nora-sobrinha da Redentora, com vestido escuro e tiara. O traje talvez remetesse a um luto familiar, que não foi possível averiguar.

“A união de Karl von Habsburg-Lothringen e Zita di Borbone-Parma é uma clara demonstração da secular endogamia bourbônico-habsbúrgico-bragantina: quase todos os presentes ao casamento são parentes diversas vezes.

“57s: o pretendente carlista ao trono espanhol, D. Jaime (1870-1931), Duque de Madrid, aparece junto a D. Luiz do Brasil, que está fardado como hussardo do Exército Imperial e Real austro-húngaro, e outros príncipes. Inicialmente, considerei que o último da fila, com quem a 1min27s, novamente aparecerá o Príncipe D. Jaime conversando, fosse ninguém menos que o filho caçula da Redentora, D. Antonio, fardado como tenente. Mas Teresa Malatian me lembrou que ele era hussardo e não ulano, como o jovem príncipe do vídeo.

“1min50s: os meninos Borbone-Parma recebem e reverenciam o tio, Arquiduque Franz Ferdinand (1863-1914), cujo triste fim em 28 de junho de 1914 fez eclodir a I Guerra Mundial.

“1min59s: os primos dos noivos confraternizam e fumam — bastante Belle Époque

“2min10s: o marido da célebre Sissi — imortalizada nas telas por Romy Schneider —, junto de sua sobrinha, Maria Josepha da Áustria (1867-1944), nascida princesa da Saxônia e neta de D. Maria II de Portugal (1819-1853).

“2min20s: Franz Ferdinand, em gesto de extremada gentileza, segura o buquê de flores que seu idoso tio-imperador recebera.

“2min35s: os recém-casados, muito felizes, junto aos seus familiares. Lá atrás, já sem chapéu, nosso D. Luiz aparece, estando atrás dele sua consorte, D. Maria Pia, visível em 2min45s.

“2min51s: as princesas e arquiduquesas junto ao imperador. D. Luiz aparece novamente, ao fundo.

“3min23s: Franz Joseph I começa a se despedir de todos. Seu sobrinho-neto e futuro sucessor, Karl, faz a reverência protocolar. À esquerda está o Arquiduque Franz Ferdinand, observando. Lembremos que o casamento de Karl e Zita representava para ele algum mal-estar, em vista de seu consórcio, em 1900, ter sido morganático. Ele se unira à Condessa Sophie (Zofie) Choteck von Chotkow und Wognin (1868-1914), uma nobre tcheca de excelente linhagem, mas muito distante da alta realeza. A descendência de Franz Ferdinand e Sophie constitui a casa ducal-principesca de Hohenberg, ramo primogênito dos Habsburg-Lothringen que não é nem dinasta e nem arquiducal. O casal foi assassinado pelos terroristas do grupo nacionalista sérvio ‘Mãos Negras’ em Sarajevo, capital da Província da Bósnia-Herzegovina. O atentado foi o estopim da I Guerra Mundial.”

Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.