118 Anos da Lei Áurea – Celebrações no Rio de Janeiro

Os 118 anos da Abolição foram festejados neste sábado no Rio de Janeiro, com a programação pequena, porém marcante, das mulheres empresárias que homenageiam D. ISABEL em seu monumento, no Leme, e a tradicional Missa da Imperial Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos, no Centro.

Mencionamos a participação especial da Guarda de Honra do BATALHÃO DO IMPERADOR (1º BG – São Cristóvão), pelos gentis préstimos de S.E. o Senhor Chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Leste, General Hélio Chagas de Macedo Jr. e do Senhor Comandante do Batalhão, Ten-Cel. Sarmento.

A programação completa das festas, que o IDII enviou a seus associados e amigos em forma de convite-marketing, também contava com acontecimentos de fora do Estado. A mensagem segue abaixo:

 Prezado(a) Amigo(a) do Instituto D. Isabel I,

Seguem abaixo as programações do 118º Aniversário da Abolição da Escravatura em todo o Brasil.

Junte-se a nós!

Filie-se ao Instituto Cultural D. Isabel I a Redentora!

Basta visitar http://www.idisabel.org.br e acessar a seção FILIE-SE, e Você se tornará um neo-abolicionista!

Contamos consigo!

Muito cordialmente.

OS CONSELHEIROS DO IDII

____________________________________________________________

13 de Maio de 2006

118 Anos da Lei Áurea

  • 9h30min – Conselheiros e Sócios do IDII juntam-se às crianças da Rede Municipal de Educação para depositar flores aos pés do monumento de D. Isabel a Redentora, no bairro do Leme
    APOIO: Sra. Marilda Sá da Silva, Presidente da FAMEBRAS
  • 12h – Missa Solene de Ação de Graças na Igreja do Rosário, celebrada por S.E.R. o Senhor Abade Emérito de São Bento do Rio de Janeiro, D. JOSÉ PALMEIRO MENDES, e co-celebrada pelo Capelão da Irmandade, Pe. Delfino José de Araújo e outros Sacerdotes
  • 14h – Coquetel no Salão Nobre da Irmandade

IGREJA – Rua Uruguaiana, 77 – Centro

____________________________________________________________

Rádio PARANÁ EDUCATIVA AM 630 – Curitiba

A Princesa, a Abolição e as Mulheres

A Princesa D. Isabel, a Abolição da Escravatura e Histórias de Mulheres são o tema do programa “Nossa História” deste sábado, das 18 às 19 horas pela Rádio Paraná Educativa Am 630, de Curitiba.

As últimas revelações históricas de arquivos familiares, mostrando uma Princesa Isabel até então desconhecida, preocupada com o sufrágio feminino e engajada em uma luta pela reforma agrária juntamente com André Rebouças serão expostas no programa, que homenageará também as mulheres que “fizeram Nossa História” e as Mães.

A produção e apresentação são de Zélia Sell e Guilherme Nascimento.

Também participarão do programa os escritores e historiadores Robert Daibert Jr., Raquel Naveira e Leni Trentin Gaspari e Vera Mayer, que falarão sobre as mulheres do Paraná.

O programa pode ser ouvido pela internet na página:
www.nossahistoriaam630.cjb.net

____________________________________________________________

INSTITUTO DE PESQUISA E MEMÓRIA PRETOS NOVOS

FUNDADO EM 13 DE MAIO DE 2005

13 de maio de 2006

Entrada franca

10h – Abertura: boas-vindas da Diretoria do Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos

10h15min – Exposição dos Artistas plástico *Oton Teixeira, Ferramenteiro Afro com suas peças em exibição. *Mestre Saul com sua nova coleção de quadros com a temática feminina intitulada, “devastação da natureza, surrealismo”, em favor da mulher. *C.Ulisses com sua coleção de instrumentos de Percussão Afro em miniaturas, *Casanova com suas magníficas esculturas em madeira.

10h30min – Palestra e debate: “Cosmogonia A Visão de mundo do povo Ioruba” — como o povo africano vê a criação do mundo.

Palestrante: Professor Marcelo Monteiro.

12h – intervalo

13h – apresentação do vídeo “ África antes da Colonização” – curta-metragem.

13h30min – O Cinema do cineasta Zózimo Bulbul – Pequena África (2002) 14 min – Aniceto do Império (1981) 11 min – Samba no Trem (2005) 18 min – Alma no Olho (1973) 11 min – Republica Tiradentes (2005) 36 min.

15h – Exibição Inédita do Documentário – Pretos Novos o filme conta a Historia dos 52 anos de funcionamento do Cemitério dos Pretos Novos e seus 165 anos de esquecimento, com 227 anos de existência na Historia do Negro Brasileiro desde a sua captura na África, a travessia no atlântico, seu desembarque em águas cariocas, o sofrimento nas casas de engorda e venda como mercadoria de primeira necessidade sua vida e morte no Cemitério dos Pretos Novos, os pés e mãos urbanísticas para o desenvolvimento da expansão da Cidade do Rio de janeiro, imperdível.

15h30min – Palestra e debate: “A Importância da Cultura Africana na Historia do Brasil”.

Professor Julio César M. da Silva Pereira, mestrado em história.

Autor da pesquisa que gerou o Documentário – Pretos Novos confeccionado pelo Instituto Pretos Novos.

17h30min – exibição do filme “A negação do Brasil”.

18h – encerramento.

Bolo de aniversário do I.P.N.

Rua Pedro Ernesto, nº. 32 – Gamboa
Zona Portuária – Rio de Janeiro
Tel: (21) 2516-7089
www.pretosnovos.com.br

____________________________________________________________

FESTA DE JONGO NO QUILOMBO SÃO JOSÉ

HOMENAGEM AOS PRETOS VELHOS

13 DE MAIO DE 2006

SÁBADO – VALENÇA – RIO DE JANEIRO

No dia 13 de maio, a partir das 10h da manhã, acontecerá no Quilombo São José em Valença a Festa de Jongo em Homenagem aos Pretos Velhos.

O evento é gratuito.

Programação

10h – Missa afro ao ar livre

11h30 – Feijoada em beneficio da comunidade ( paga à parte )

14h30 – Capoeira Angola, Maculelê e Samba de roda

15h – Jongo do Quilombo São José

15h 30 – Jongo de Barra do Piraí

16h – Jongo de Pinheiral

17h – Rodão de Confraternização entre os grupos

19h – Folia de Reis de Valença

20h – Benção da fogueira pela matriarca da comunidade Mãe Terezinha, homenagem aos Pretos-Velhos e Ínicio da Roda de Jongo na beira da fogueira com a participação de todos os presentes

22h às 7h da manhã – Início do Baile de Calango intercalado com Roda de Jongo na fogueira até o sol raiar (durante toda a noite barraquinhas venderão comidas típicas e artesanatos do local e serão assadas batatas na fogueira).

22h30min – Show com a cantora Luciane Menezes e Companhia Brasil Mestiço

Dia 14 de maio

8h – Café da manhã 9h – Jogo de futebol A tarde – Encerramento da festa

COMO CHEGAR DE CARRO

O Quilombo da Fazenda São José fica há duas horas e meia de carro do centro do Rio de Janeiro.

1º OPÇÃO – Pegar a RJ-SP (Dutra) subir a Serra das Araras (para quem sai do Rio) entrar a direita para VOLTA REDONDA. Cruzar a cidade de Volta Redonda em direção ao bairro chamado VOLDAC.

No bairro VOLDAC pegar a estrada nova de asfalto em direção a cidade de SANTA ISABEL . Ao chegar em SANTA ISABEL cruzar a cidadezinha em direção a serra (estrada de barro) que vai para Conservatória.

Você está há 20 minutos do Quilombo São José. Pegar a serra em direção a Conservatória em dentro de 10 minutos verá uma placa QUILOMBO SÃO JÓSÉ . É só pegar a direita mais 10 minutos de estrada de terra e você chegou !!!!!

2º OPÇÃO: Pegar a estrada Rio – SP entrar na saída para Piraí – Barra do Piraí e atravessar Barra do Piraí em direção a Valença. Após o trevo seguir em direção a cidade de Conservatória ( entrar a esquerda para Conservatória e não a direita para Valença, ). Atravessar a cidade de Conservatória e subir a Serra da Beleza ( estrada de barro ). Após a 4º ponte, no 18º Km da estrada de barro virar a esquerda na entrada da Fazenda São José ( seguir mais 6 km ) por essa estrada de barro secundária atravessando 3 porteiras e você chegou ao Quilombo da Fazenda São José da Serra !

O Quilombo São José é uma comunidade de 200 negros da mesma família que preservam o jongo, dança de roda considerada uma das origens do samba, trazida de Angola para a região Sudeste do Brasil-Colônia pelos escravos.

Essa família permanece há 150 anos na mesma terra desde a escravidão mantendo ricas tradições como o jongo, a umbanda, o calango, o terço de São Gonçalo, a medicina natural, rezas e benzenduras, a agricultura familiar entre outras.

Até um ano atrás a comunidade não possuía luz elétrica vivendo em isolamento. A floresta, as casas de barro com telhados de palha, o candeeiro, o ferro à brasa e o fogão de lenha ainda fazem parte do cotidiano.

Produção: Associação da Comunidade do Quilombo São José

Patrocínio: NATURA Musical

Apoio: Sesc Rio de Janeiro

Parceria: Associação Brasil Mestiço Prefeitura Municipal de Valença

Maiores informações:

Associação Brasil Mestiço: (21) 3852.0053 / 3852.0043

www.brasilmestico.com.br

Associação do Quilombo São José: (24) 9903.4038

____________________________________________________________

FOTOGRAFIAS REALIZADAS PELO
SENHOR LEANDRO MARINS,
AOS SERVIÇOS DO INSTITUTO D. ISABEL I

Homenagem singela dos presentes ao monumento à REDENTORA no Leme: todos entoam o HINO NACIONAL BRASILEIRO.

O Presidente do IDII, diz algumas palavras sobre a importância histórica e, portanto, sociológica, antropológica e até teológica do 13 DE MAIO para a NACIONALIDADE BRASILEIRA.

A estátua da Redentora rodeada dos Conselheiros do IDII, Selene Cruz, Alexandre Mendonça e Bruno de Cerqueira, e das senhoras que compõem a FAMEBRAS, presidida por Marilda Sá da Silva (4ª da esq. p/ dir.).

D. ISABEL ELEONORA DE ORLEANS E BRAGANÇA, trineta homônima da Redentora,
chega à Igreja de N. S. do Rosário e São Benedito.

A Princesa e o Juiz de Nossa Senhora do Rosário (Provedor da Irmandade), Carlos Alberto Guimarães da Silva (dir.) e o grande canonista Dr. Jovelino Ribeiro. Prior da Ordem terceira de N. S. do Carmo do Rio de Janeiro

D. Isabel e os provedores, seguidos dos demais diretores da Imperial Irmandade.

Na Procissão de Entrada dos Clérigos e da Irmandade, o Estandarte de São Benedito se destaca.

Três dos quatro sacerdotes que celebrarão o sacrifício Eucarístico: D. José Palmeiro Mendes OSB, Abade emérito de N.S. do Montserrate do Rio de Janeiro, Pe. Delfino de Araújo (Capelão da Irmandade – esq.) e Pe. Eugênio Sena Monteiro, Vigário Paroquial de N.S. da Glória, do bairro de Santa Cruz.

O _________________, Pe. Benedito…, entoa o SALMO RESPONSORIAL.

Pe. Delfino faz a Aclamação ao Santo Evangelho.

Momento do Ofertório, em que a Juiza de São Benedito traz as espécies que se tornarão Sangue de Cristo; à frente vai o Procurador da Caridade, Senhor Paulo Paschoa.

Aspecto do público na Igreja.

Atrás dos Diretores da Irmandade, estão os Conselheiros do IDII,
Dr. Bruno Hellmuth (1º à esq.), Prof. Inoã Urbinati (4º à esq.) e
Prof. Bruno de Cerqueira; também com eles o Senhor Luiz Claudio Morgado
e Senhora (2º e 3ª) e o Senhor Ohannes Kabderian Jr., do Círculo Monárquico – RJ.

Ao término da Missa, todos ouvem e cantam o HINO DA INDEPENDÊNCIA,
cuja autoria da música é do próprio D. Pedro I (*1798 †1834).

A Princesa acompanha os Provedores na Procissão de Saída, encaminhando-se
ao segundo andar da Irmandade, onde o MUSEU DO NEGRO será visitado.

Sua Alteza Real chega ao MUSEU.

A Diretora do Museu do Negro, Profª. Juracy Arruda, convida o
Senhor Provedor a descerrar a placa-certidão de membro do Conselho Federal de Museus.

D. Abade José abençoa o Museu do Negro e a Exposição
CAMINHOS DA LIBERTAÇÃO, que será inaugurada.

D. Isabel Eleonora de Orleans-e-Bragança, a Profª. Juracy Arruda e o Sr. Carlos Alberto Guimarães junto à forma em gesso do sarcófago da REDENTORA e de D. GASTÃO, que permanecem como parte do Acervo do Museu, desde que os restos mortais deles ali permaneceram, até serem levado para a Catedral de São Pedro de Alcantara, Petrópolis, em 1971.

A Princesa e o Prof. Bruno observam a
Tábua Genealógica Resumida da Casa Imperial do Brasil,
presente do IDII à Imperial Irmandade em 2002.

A Mesa de Honra do coquetel que se seguiu à Exposição.

Aplausos para a organização do evento.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.